A Pesquisa

Justificativa

Por que pesquisar sobre a pílula de emergência no contexto das farmácias?

Na Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher (PNDS), (Brasil, 2008), as farmácias aparecem como fonte de obtenção de métodos contraceptivos modernos para 42,5% das usuárias de 15 a 49 anos, reunindo métodos hormonais (pílula e injeção) e preservativo masculino.

Considerando o aumento do uso da pílula de emergência entre mulheres sexualmente ativas e o fato de não haver outras pesquisas sobre as circunstâncias da dispensação deste medicamento nas farmácias, decidimos conhecer e valorizar a opinião dos farmacêuticos, profissionais que detêm posição estratégica e proximidade cotidiana com consumidores, e dos balconistas, profissionais-chaves no atendimento aos consumidores da pílula de emergência.

Já se conhece as dificuldades que cercam o acesso das mulheres ao método na rede pública de serviços de saúde, em razão de preconceitos e juízos de valor dos profissionais de saúde sobre a sexualidade feminina. Assim, buscamos saber se os mesmos constrangimentos também existem no espaço da drogaria, e como se dá a interação entre profissional e consumidora no momento da compra da pílula de emergência.



Última atualização em 04/04/2016
© É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte.